Servidor federal é preso acusado de estupro e pedofilia

miniatura.phpPoliciais Civis da Divisão Especial de Investigações e Capturas (Deic) prenderam, nesta terça-feira (28), Jeomar Carvalho Costa, oficial da Justiça Federal acusado de estupro e pedofilia. Segundo o delegado Ronilson Medeiros, responsável pela operação que resultou na prisão do servidor público, Jeomar Carvalho foi condenado em dezembro de 2014 e estava foragido.Ainda de acordo com as investigações, ele é proprietário de uma rede de motéis na orla lagunar de Maceió. Os detalhes da prisão foram divulgados em entrevista coletiva, na tarde desta terça, na sede da Deic, no bairro Santa Amélia, parte alta da capital.

Segundo a polícia, o inquérito para investigar o serventuário foi instaurado em 1999, quando da acusação por atos de pedofilia na Barra de Santo Antônio, onde o acusado, que recorreu e responde em liberdade, adolescentes com menos de 18 anos de idade, levando-as para sua residência.

A condenação, porém, veio apenas em 2008, a partir de quando deveria cumprir 10 anos de reclusão. Seis anos depois, uma nova decisão, pela prisão de Jeomar, tornou-o foragido da justiça alagoana, razão pela qual teve o salário suspenso, quando já havia assinado procuração para a filha.

Com isso, Jeomar precisou fazer um novo cadastro, junto à Justiça Federal, para tentar reaver os vencimentos. Foi quando a Polícia Civil conseguiu localizá-lo, vindo a descobrir, ainda, que motel de sua propriedade, situado no bairro Vergel do Lago, serviria de ponto de encontro entre pedófilos, com adolescentes tendo livre acesso ao estabelecimento.

Jeomar foi preso dentro da sede da Justiça Federal, na Serraria, em Maceió. Ainda segundo a polícia, cinco meninas foram ouvidas sobre os crimes. Em sua defesa, o acusado alegou que tudo não passou de uma armação das adolescentes, que teriam assaltado sua residência na Barra de Santo Antônio. “Para se livrarem, elas inventaram essa história de que eu promovia orgias em casa”, argumentou.

Ainda de acordo com o delegado Ronilson Medeiros, todas as meninas ouvidas apontaram Jeomar como pedófilo. Porém, há indícios de que mais garotas tenham sido vítimas do acusado, que foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), para o exame de corpo de delito, e, em seguida, ao sistema prisional.

E a polícia pede a ajuda da população. Quem tiver informações sobre outros crimes atribuídos ao acusado deve manter contato por meio do Disque Denúncia, no número 181, com o anonimato garantido.

Por: Gazetaweb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *