Obras realizadas com recursos dos precatórios da Educação são carro chefe de campanha de Conceição Tavares em Traipu

A ex-prefeita e candidata mais uma vez a prefeitura de Traipu, Conceição Tavares (PTB), tem citado em sua campanha diversas obras realizadas por ela em sua gestão. Obras que foram realizadas com recursos dos precatórios do antigo Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental).

 O município ribeirinho recebeu cerca de 50 milhões de reais desses precatórios durante a gestão de Tavares.

Praças foram reformadas e ruas pavimentadas com paralelepípedo. No entanto, o que gerou descontentamento é que esse dinheiro deveria, segundo profissionais da educação, ser usado na educação, a categoria de professores queria até que fosse realizado rateio, com parte dos recursos, valorizando assim cada profissional, contudo, Conceição Tavares pensou diferente.

Pagamento indevido

Um fato que chamou atenção é que escritórios de advocacia receberam a quantia de dez milhões de reais desses recursos, tendo que devolver esses valores, visto que a justiça considerou ilegal tal pagamento.

As obras

Os problemas vão além. A qualidade das obras, realizadas às pressas as vésperas de um pleito é outro fator questionável. Pouco tempo depois de inaugurado, o calçamento de ruas começou a afundar, fato que aconteceu no passei denominado Luís de Novais Tavares, as margens do rio, e nas proximidades da rua Alto do Severão.

Uma caçamba ficou atolada em uma rua recem calçada, situação semelhante aconteceu com um caminhão que transportava grama.

Tais fatos aconteceram no ano de 2016, e repercutiram em veículos de comunicação do estado. O passeio Luís de Novais Tavares apresentou problemas como infiltrações, problemas na parte elétrica, entre outros. Muito dinheiro, vale ressaltar mais uma vez, da Educação, foi usado nessas obras, e era esperado pelo menos qualidade, mas não foi isso que aconteceu.

Sob investigação

Esses recursos foram alvo de investigação. É que em 2018 O Ministério Público do Estado de Alagoas (MP-AL) relatou que iria investigar possíveis desvios dos recursos recebidos a título de precatório do antigo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental (Fundef) pelo município de Traipu, na região do Baixo São Francisco.

A denúncia se refere ao período de gestão da ex-prefeita Maria da Conceição Teixeira Tavares (DEM). A portaria divulgada no Diário Oficial do Estado (DOE) foi assinada pelo promotor de justiça Rodrigo Soares da Silva.

Conceição Tavares continua dizendo que fez, e o povo analisando as propostas da candidata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *