Núcleo Ressocializador da Capital se consolida como unidade modelo

Há cinco anos, um projeto inovador teve início no sistema prisional alagoano. Com planejamento sério e muito empenho, os servidores penitenciários conseguiram implantar o Núcleo Ressocializador da Capital (NRC). A unidade conta atualmente com 115 reeducandos, número que será ampliado após a conclusão do processo seletivo feito por uma equipe multidisciplinar composta por servidores.557b53e3d7e80c96c458b7b6fb965c0a_L (1)

No NRC os internos passam por uma avaliação diária de comportamento. Só permanecem na unidade aqueles que estudam, trabalham e mantêm o respeito ao próximo. Caso alguém descumpra as determinações da chefia da unidade, perderá os benefícios e será encaminhado para outro presídio. Desde o início do projeto, 1,2 mil custodiados já foram avaliados e cerca de 200 progrediram de regime no Núcleo.

Respeitar as regras para manter a convivência harmônica e ser reintegrado socialmente é um dos segredos do Núcleo, é o que afirma a chefe da unidade, Geórgia Hilário. “O empenho dos servidores é fundamental para efetivar a ressocialização. Trouxemos um projeto inspirado em módulos de respeito da Espanha, separando os internos por classificação e oferecendo vantagens para aqueles que têm um bom comportamento”, afirmou Hilário.

No mês de aniversário da unidade, a Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) promove diversas atividades com os internos e servidores penitenciários. Na sexta-feira (12), foi realizada uma palestra sobre planejamento e ações inovadoras para quem busca uma mudança de vida, com o coach e engenheiro civil Ronaldo Patriota. Já no domingo (14), foi feita uma homenagem alusiva ao Dia dos Pais, com os familiares dos reeducandos.

Quem observa o NRC hoje, não imagina como a unidade era no passado. Em 2007, o Presídio Rubens Quintella foi interditado pela Justiça por falta de estrutura. Mas, aquilo que parecia o fim foi transformado em recomeço. A unidade passou por adaptações e melhorias estruturais, com salas de aula, biblioteca, miniauditório, e o principal: recebeu agentes penitenciários qualificados que humanizam o tratamento aos internos e fazem do NRC uma unidade modelo no país.

Por: Agência Alagoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *