Malafaia se defende de acusações

O pastor Silas Malafaia usou seu perfil no Twitter, nesta sexta-feira (16), para explicar sua suposta participação em um esquema de cobranças judiciais de royalties da exploração mineral devidos por mineradoras a municípios. A fraude é alvo da Operação Timóteo da PF (Polícia Federal) nesta sexta-feira.

Pela rede social, Malafaia pediu “atenção aos tweetars” e informou que foi acordado por um telefonema avisando sobre a operação da PF (Polícia Federal), que mira, entre outros alvos, ele próprio. Ele reconheceu ter recebido uma oferta de R$ 100 mil de um amigo pastor.

— Nesta manhã fui acordado por um telefonema de que a Polícia Federal esteve na minha casa. Estou em São Paulo e vou me apresentar. […] Recebi uma oferta de cem mil reais, de um membro da igreja do meu amigo pastor Michael Abud, não sei e não conheço o que ele faz.

Leia mais notícias de Brasil e Política

O religioso prosseguiu: “Tanto é que o cheque foi depositado em conta. Por causa disso sou ladrão? Sou corrupto? Recebo ofertas de inúmeras pessoas […] e declaro no imposto de renda tudo o que recebo. Quer dizer que se alguém for bandido e me der uma oferta, sem eu saber a origem, sou bandido?”

— É a tentativa para me desmoralizar na opinião pública. Não poderia ter sido convidado para depor? Vergonhoso! […] Recebi um cheque de um advogado, como recebo inúmeras ofertas e as declaro no IR. Sou responsável pela bandidagem de outros? Estou indignado.

Malafaia encerrou questionando: “A justiça não tem bom-senso? Para saber q eu recebi um cheque de uma pessoa; e isso me torna participante de crime? Estou indignado”.

Por: R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *