Luta pelo direito e respeito às mulheres levam alagoanos às ruas neste domingo (20)

e8658cb4a1b6dba2ad4d07e8c6d174b9_LDe crianças a idosos, diferentes gerações de alagoanos estiveram juntos, na manhã deste domingo (20), unidos em uma só voz por um grande pedido: direitos amplos às mulheres e justiça pela paz em casa. Com pelo menos 500 pessoas, a orla da praia de Maceió foi tomada pelo desejo de mudança no cenário de violência doméstica contra as mulheres, durante a 2ª caminhada “Todos por elas”, como parte das comemorações do Dia Internacional da Mulher.

A importância de entender a luta por respeito, sem distinções de gênero, começa desde cedo. Com apenas dois anos, a pequena Vivian já aprende em casa que todos podem e devem usufruir de direitos iguais. O discurso é defendido pela mãe Milena Rodrigues, que fez questão de trazê-la junto com o marido para vivenciar um momento de união da sociedade em defesa às conquistas e reivindicações das mulheres.

“É um espaço muito importante de conscientização e luta sobre os nossos direitos. Tento passar essa reflexão em casa para minha filha e hoje estamos aqui juntas em favor de mais respeito. Esperamos que este respeito possa, de fato, ser amplamente difundido nos cenários profissionais e pessoais. Será uma grande conquista”, avalia Milena Rodrigues.

Depois de uma aula de alongamento, a população seguiu em uma caminhada em homenagem às celebrações do mês das mulheres. Liderando as atividades, a secretária de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos, Roseane Cavalcante, destacou a necessidade de continuar atuante nas ações que promovam a igualdade e liberdade de direito a todos e, sobretudo, para as mulheres dentro da sociedade.

“Estamos em mais uma caminhada em alusão ao Dia Internacional da Mulher. Este é um momento para dizermos não á violência e a desigualdade de direitos. Ainda falta muito a ser feito, mas vamos lutar juntos por respeito e liberdade. Precisamos mudar os índices negativos que ainda caracterizam nosso Estado e apoiar as mulheres a favor destas transformações”, ressalta a secretária.

A reivindicação, porém, não foi apenas representada pelas mulheres. O corredor, Nijauro Ribeiro acompanhou toda a caminhada e lembrou da importância de divulgar a força da igualdade de gênero entre a comunidade. A reflexão acerca do respeito e a não violência foi um dos pontos citados por ele como determinantes nesta luta.

“Felizmente estamos vendo cada vez mais mulheres ocupando cargos que antes pertenciam apenas aos homens. Já avançamos muito neste sentido, mas ainda há muita desigualdade a ser combatida, como a grande diferença de salários ainda existentes. Precisamos estar todos no mesmo patamar de direitos, respeito e liberdade social”, afirma Nijauro Ribeiro.

Por: Agência Alagoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *