Internet pode ficar mais cara no Brasil, Anatel ameaça operadoras

Roteador-no-chaoA Anatel e o Ministério das Comunicações estão do lado das operadoras no grande debate sobre franquias na banda larga fixa. Mas hoje, a agência publicou um comunicado pedindo que elas tenham calma ao implementar esses limites, senão vão levar multa.

Não se engane: a Anatel não está impedindo que as operadoras restrinjam o acesso à internet caso você estoure a franquia mensal – ela até acha que isto pode ser benéfico – mas avisa que há alguns pré-requisitos para isso ser permitido.

A superintendente de Relações com os Consumidores da Anatel, Elisa Vieira Leonel, emitiu um despacho publicado no Diário Oficial de hoje, direcionado para Algar Telecom, Cabo, Claro/NET, Oi, Telefônica/Vivo/GVT, TIM eSercomtel.

No despacho, a Anatel exige que essas empresas “se abstenham de adotar… práticas de redução de velocidade, suspensão de serviço ou de cobrança de tráfego excedente após o esgotamento da franquia”.

Isso é temporário. Para adotar as franquias, as operadoras terão que cumprir quatro exigências:

– comprovar à Anatel que os consumidores terão ferramentas para acompanhar o consumo mensal, e que eles receberão alertas quando a franquia estiver acabando;

– informar ao consumidor na fatura mensal e por meios eletrônicos sobre a existência e a disponibilidade dessas ferramentas para acompanhar o consumo;

– deixar claro nos anúncios a existência e o volume da franquia (se houver) com o mesmo destaque dado aos demais elementos da oferta, como a velocidade de conexão e o preço – não pode esconder a franquia nas letras miúdas;




– instruir funcionários do call center e das lojas físicas a avisar sobre a franquia mensal para clientes que fizerem novo contrato ou alterarem um contrato existente.

As operadoras só poderão adotar a franquia na internet fixa 90 dias após a superintendência da Anatel garantir que todas elas estão cumprindo essas condições. A empresa que descumprir isso está sujeita a multa diária de R$ 150.000 até o limite de R$ 10 milhões.

No entanto, mesmo que a franquia na internet fixa seja pemitida, “é fato notório que se consolidou a prática de não aplicação da franquia… o consumidor não está habituado com a mensuração de consumo baseada em volume de dados trafegados, e não adquiriu o hábito de utilizar-se de ferramentas de acompanhamento”, diz o despacho.

Dessa forma, a Anatel quer que as operadoras respeitem o Código de Defesa do Consumidor, que prevê “o dever dos fornecedores de prestar informação clara e ostensiva”.

Por: Traipu Notícia com 7 Segundos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *