Indústria chinesa conhece incentivos fiscais do Governo de Alagoas

Texto de Morena Melo

Em franca expansão, indústria chinesa especializada na fabricação de embalagens acartonadas para alimentos conheceu nesta quarta-feira (17) os incentivos fiscais e locacionais concedidos pelo Governo de Alagoas.

 

Com fábricas sendo implantadas no Leste Europeu e na Ásia – Polônia e Índia, respectivamente – a indústria, que não pode ter o nome divulgado para não atrapalhar as negociações, se interessou por Alagoas graças ao trabalho de prospecção realizado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur).

 

“Os incentivos fiscais de Alagoas são realmente competitivos. Nós nos interessamos muito e queremos chegar neste Estado para exportar para toda América do Sul e, também, para contribuir com o desenvolvimento econômico local”, disse o empresário Alex Teng.

 

O Programa do Desenvolvimento Integrado do Estado de Alagoas (Prodesin) reduz em 92% o pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na saída dos produtos industrializados em todo território alagoano, além do diferimento do ICMS sobre os bens destinados ao ativo fixo, sobre a matéria-prima utilizada na fabricação de produtos e na aquisição interna de energia elétrica e gás natural.

Para se ter uma ideia, o benefício fiscal na região metropolitana de Pernambuco é de 75%, oferecendo um desconto maior do que Alagoas (95%) apenas na região do Sertão, um território ainda sem infraestrutura adequada para a instalação de indústrias.

 

De acordo com o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, a atração de indústrias como esta tem garantido bons números para economia alagoana.

 

“Um recente levantamento feito pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços mostrou que o número de exportações em Alagoas cresceu 58,01%. Isso é um reflexo do trabalho focado do Governo do Estado para garantir que indústrias ampliem e se instalem em Alagoas, mesmo no atual cenário econômico do país”, disse o secretário.

Por: Agência Alagoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *