Governo do Estado ouve segmento para melhorar turismo alagoano

Os principais nomes do turismo alagoano – de todas as regiões – estiveram reunidos, nesta terça-feira (7), com o governo do Estado, numa iniciativa da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur). O governador Renan Filho, ao lado da titular da pasta, Jeanine Pires, conduziu o fórum, atento às propostas do setor. O encontro foi realizado no Hotel Ritz Lagoa da Anta.

A proximidade, um dos eixos da atual gestão, foi verdadeiramente aplicada. “O governo vai fazer dessa política uma prática – ouvir as pessoas. É fundamental que façamos esse tipo de fórum, onde as pessoas falam claramente. O governo que mais erra é o aquele que não ouve a sociedade”, disse o chefe do Executivo, após a explanação do presidente do Maceió Convention & Visitors Bureau, Glênio Cedrim.

O gestor do Maceió Convention foi o responsável por apresentar o conjunto de demandas do segmento. O modelo foi dividido em infraestrutura (saneamento, estradas, sinalização); políticas públicas e tributos; promoção e divulgação; e qualificação.

Além das propostas colocadas por Glênio Cedrim, construídas anteriormente pelo segmento, empresários da área, durante o fórum, puderam discutir diretamente com o governador.

Carlos Gatto, empreendedor no setor hoteleiro, colocou a rede deficitária de esgotamento e a falta de investimentos pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) como obstáculos para o turismo atualmente. “Vivemos um retrocesso. A cidade [Maceió] cresce, novos prédios são construídos e temos nos deparado cada vez mais com esgoto a céu aberto, com as línguas negras”, desabafou.

Em resposta, Renan Filho anunciou que o Estado conseguiu resgatar um dos três investimentos do governo federal que haviam sido perdidos no ano passado para infraestrutura de saneamento. “Teremos R$ 54 milhões a serem investidos nesse ponto, que é crucial para o desenvolvimento”, anunciou o chefe do Executivo.

Ainda na ocasião, o governador confirmou a construção dos aeroportos nas cidades de Maragogi e Arapiraca. Mostrou preocupação quanto a oferecer obra semelhante também para o Alto Sertão.

Empresários da região Norte apontaram entre as principais dificuldades a falta de segurança. Em seguida, Renan Filho informou sobre a construção de seis Centros de Integração das Polícias Militar e Civil no Estado. Desses, um deles deve ser erguido em Maragogi, cidade de altíssima visibilidade.

Sobre um quadro mais amplo, para toda Alagoas, o governador foi enfático: “Segurança, nós vamos ter cada dia mais. Vamos fazer os investimentos que o Estado precisa. Eu espero esse ano tirar de Alagoas esse título de o estado mais violento do Brasil. Esse é o nosso compromisso”.

Ao final do fórum, que durou quase três horas, a secretária Jeanine Pires fez um balanço. “A qualidade das propostas, dos temas que o setor privado trouxe para o turismo é extremamente alta. A pauta não pensa só no turismo, mas no desenvolvimento econômico do Estado, fala de educação, segurança, infraestrutura”, avaliou.

Esse diálogo, aberto pela Sedetur, terá seguimento nesta quarta (8) e quinta-feira (9), com os setores do comércio e da indústria.

Por: agência Alagoas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *