Força Nacional assume investigação inédita em Alagoas

fn3Destaque mais uma vez no noticiário nacional, os crimes em Alagoas agora serão investigados pela Força Nacional.

Considerada, ainda, a capital mais violenta do país, Maceió vai intensificar o combate ao crime e à violência através dos policiais da Força Nacional que já ocupam o Estado desde 2012. Por aqui, segundo reportagem do Bom Dia Brasil, da Rede Globo, divulgada na manhã desta quinta-feira (15), menos de 5% dos crimes são investigados e os criminosos são punidos.

Diante deste cenário obscuro, a Secretaria Estadual de Defesa Social pediu ajuda ao Ministério da Justiça e, a partir de agora, a Força Nacional de Segurança vai assumir as investigações de inquéritos e assassinatos registrados na capital, este ano, desde o dia 6 de janeiro.

A investigação é inédita no Brasil. É a primeira vez que a polícia judiciária vai fazer esse tipo de trabalho sozinha em um estado brasileiro.A Polícia Civil de Alagoas permanecerá trabalhando nos procedimentos anteriores. São mais de dois mil inquéritos.

Com a ação inédita, a delegada da Força Nacional, Fabiane Bittencourt, acredita que agora haverá uma redução da violência em Alagoas. Pelo menos nos índices de homicídios. É o que se espera com esta força-tarefa que reúne policiais, peritos, delegados e outros profissionais da Força Nacional e militares estaduais.

A violência em Alagoas não se concentra apenas na capital. Ela se espalha assustadoramente no interior do Estado. Em Arapiraca e na região do Agreste há homicídios diariamente. Assaltos nem se fala. E começamos 2015 da mesma forma que em anos anteriores: assustados e com medo, muito medo.

A população espera que as ações efetivas não se concentrem apenas em Maceió, mas que o governador Renan Filho determine forças-tarefas também pras bandas de cá. Enquanto isso, vamos garantindo a má fama de ser o Estado mais violento do Brasil.

Por: Fábio Lopes

Fonte: Rede Globo / Fotos: divulgação internet

GALERIA

fn3

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *