Foi destaque na gestão Conceição Tavares, você lembra?

TCU DETERMINA QUE A EX-PREFEITA DE TRAIPU DEVOLVA AO MUNICÍPIO MAIS DE $10 MILHÕES DE REAIS DOS PRECATÓRIOS DA EDUCAÇÃO

Analizando os exemplos de gestão dos possíveis candidatos a prefeitura de Traipu no pleito vindouro, hoje iremos relembrar uma situação que repercutiu em vários veículos de comunicação.

Foi na gestão da ex-prefeita Conceição Tavares, que os escritórios jurídicos que a época prestaram serviços a prefeitura de Traipu, se deram bem financeiramente, inclusive um dos sócios dos escritórios advocatícios é o jenro da ex-prefeita, o advogado Yuri Pontes Cesário. Em 30/11/2015, a então prefeita Conceição, autorizou à ordem de pagamento de exatos $ 10.410.221,30 (dez milhões quatrocentos e dez mil duzentos e vinte um reais e trinta centavos) todo esse montante pago em um único dia (30.11.2015), o que levantou suspeitas do Tribunal de Contas da União. Os escritórios advocatícios beneficiados foram:

  • Lima Marinho Pontes e Vasconcelos – $ 2.852.400,63.
  • Henrique Carvalho advogados – $ 2.644.196,22.
  • Queiroz Cavalcanti advogacia – $ 1.873.839,84.
  • F. Sarmento advogados associados – $ 1.811.378,51.
  • Pereira Gomes e Lopes advocacia e consultoria- $ 811.997,25.
  • E.S. informática LTDA – $ 416.408,85.
    Em julgamento, os ministros do TCU de Brasília, decidiram por unanimidade multar a ex-prefeita Conceição Tavares, por pagamentos considerados irregulares, bem como, determinou a devolução dos recursos aos cofres públicos do município. Em 2016 a prefeitura de Traipu recebeu de uma única vez o valor de 52 MILHÕES DE REAIS referente a precatórios que seriam destinados a educação. Na época os professores do município buscaram na justiça parte desses recursos com objetivo de ser divididos entre os docentes, mas infelizmente os professores não obtiveram êxito na ação judicial e nem receberam o apoio da então prefeita Conceição Tavares, que preferiu ficar em silêncio, e não defendeu os interesses dos professores. Além dessa derrota judicial referente os precatórios, os professores de Traipu ainda tiveram que amargar outra derrota, dessa vez a então prefeita Conceição, de forma ilegal resolveu por meio decreto retirar direitos dos professores, reduzindo de 40 para 20% os benefícios de nível de graduação, deixando os professores com seus vencimentos defasados.

Você estava lembrado? Nos próximos dias também destacaremos situações relativas a outros postulantes ao Executivo municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *