Extração de areia do Rio Traipu preocupa moradores

4158003_x360O Rio Traipu, em um trecho que passa pela cidade de Jaramataia, Sertão alagoano, está sofrendo com a extração de areia. A retirada do leito do rio deixa a água que serve para o consumo humano e para os animais salgada.

Os moradores do povoado Jangada estão indignados com a situação porque muita areia já foi retirada do local. “Em uma hora foram retirados vários montes de areia. Isso está deixando a água muito salgada e temos que buscar água em outro local”, diz o produtor rural, Antônio Gonçalves.

Outra preocupação dos moradores é que, mesmo na estiagem, o leito do rio vira área de pastagem para pequenos animais e a camada de areia também protege o lençol freático.

Depois que as máquinas passam, tudo fica revirado. E quanto mais se cava, mais a água armazenada no subsolo torna-se imprópria para o consumo, inclusive dos animais. “Depois que as máquinas passam a água fica muito salgada e não dá para beber”, diz o agricultor Márcio Lúcio.

Além da retirada da areia, percebesse que não houve uma preocupação em preservar a mata ciliar, que margeia o rio, tanto que é possível ver pedaços de árvores cortadas.

Segundo os moradores, a areia está sendo retirada pelo dono de uma fazenda. Uma retroescavadeira foi flagrada parada dentro da propriedade e também duas placas informando que José Clébio Barbosa está autorizado a extrair areia do leito seco do Rio Traipu.

Uma das placas é do Instituto de Meio Ambiente (IMA), e a outra, do Departamento Nacional de Produção Mineral, órgão vinculado ao Ministério das Minas e Energia. Semana passada houve um princípio de conflito entre os moradores e o dono da fazenda. A Polícia Militar foi acionada. O fazendeiro recuou e retirou do rio a retroescavadeira.

A prefeitura de Jaramataia também autorizou a extração da areia no Rio Traipu, mas o prefeito Ricardo Paranhos disse que imaginava que a atividade ficasse restrita a uma pequena área. “Nosso procurador disse que não havia ilegalidade e, por isso, autorizamos. Mas era para ele [o proprietário da fazenda] retirar areia dentro da propriedade dele e não nas outras”, afirma.

Os moradores foram ao Fórum de Major Isidoro protestar e pedir providências por parte do Ministério Público Estadual (MP-AL). “Queremos dos órgãos competentes que a extração de areia para fins comerciais seja proibida definitivamente em todo leito do rio”, afirma a advogada do grupo de moradores, Arielly Rocha de Melo.

O IMA informou que vai enviar uma equipe ao local para avaliar se as condutas estabelecidas para o licenciamento estão sendo cumpridas.

Já a promotora de justiça de Major Isidoro, Ilda Regina Reis, que também atua em Jaramataia, disse que diante dos fatos narrados pelos moradores do povoado Jangada, vai encaminhar ofícios solicitando uma perícia do IMA e inspeção por parte do Departamento Nacional de Produção Mineral para averiguar se há registro e licença ambiental para a atividades.

Por: G1 AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *