Em sete meses, Alagoas perde mais de 27 mil postos de trabalho

miniatura.phpNo período que compreende os sete primeiros meses do ano, Alagoas fechou 27.898 mil postos de trabalho, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na sexta-feira (21) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). No mês de julho deste ano, houve 789 demissões de celetistas. Os setores que mais contribuíram para este cenário foram os de serviço e comércio.

De acordo com o Caged, os dados do mês de julho mostram uma retração de 0,23% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês de junho. A evolução do emprego formal em Alagoas também apresenta uma saldo negativo, em comparação com o período compreendido entre os últimos 12 anos.

Ainda segundo os dados do Caged, o mês de julho entra para a série histórica como o período de 30 dias em que, nos últimos 12 anos, houve mais demissões do que admissões. O cadastro mostra também que, em 2013, 379 postos de trabalho foram efetivados, enquanto no ano seguinte este número saltou para 1.352 postos. Em 2007, foram criados mais de três mil postos de trabalho em apenas um mês.

Em julho, Maceió foi o município que mais fechou postos de trabalho com carteira assinada, seguido por São José da Tapera, Delmiro Gouveia e Palmeira dos Índios. No outro lado da tabela figuram os municípios de Coruripe, Arapiraca e Santana do Ipanema, que apresentaram um saldo positivo quando comparados admissão e desligamento.

Desde o início do ano, o desemprego no Brasil só cresce: em julho, chegou a 7,5%, na sétima alta mensal consecutiva. A taxa é a maior para meses de julho desde 2009, quando atingiu 8%, segundo divulgou, nessa quinta-feira (20), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em junho, o índice ficou em 6,9%, enquanto no sétimo mês de 2014, em 4,9%.

Por: Gazetaweb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *