Definida empresa que fará leilões de bens inservíveis ao Poder Judiciário

   b9d4fb1b033b3d73e88b304e0be993f9A Comissão Permanente de Licitação do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) definiu, por meio de sorteio público, a ordem de classificação dos leiloeiros habilitados para a prestação de serviços de alienação de bens móveis e imóveis desafetados e inservíveis à administração da Corte estadual.

     O leiloeiro José Freire e Silva, que compareceu à sessão, no gabinete da Presidência, ficou em primeiro lugar na ordem de classificação do sorteio, seguido de Laerte Teixeira Martins da Silva, Carlos Adriano Solano dos Santos Pinho, Fernando Gustavo Alencar de Albuquerque Lins e Adilson Bento de Araújo.

     “Em obediência ao edital que deflagrou a licitação, cabe ao primeiro colocado neste sorteio promover os leilões de quaisquer bens inservíveis à administração do TJ”, explica Maria Aparecida Magalhães Nunes, presidente da Comissão Permanente de Licitação do Poder Judiciário de Alagoas.

     

Maria Aparecida Magalhães, Kátia Diniz e Dilair Lamenha integram a Comissão de Licitação do TJ

     O edital autorizando a licitação para seleção dos leiloeiros foi assinado pelo presidente Washington Luiz dia 11 de fevereiro, em reunião com o governador Renan Filho. Na ocasião, o chefe do Judiciário reforçou a necessidade de se leiloar, por exemplo, veículos apreendidos pelas autoridades policiais.

     “Além de diversos veículos, outros bens atualmente sob a guarda da justiça também serão leiloados, desafogando, por exemplo, os depósitos do próprio Judiciário”, enfatizou Washington Luiz. “A seleção dos leiloeiros atende a uma demanda da sociedade alagoana”, reforçou.

     O procedimento de credenciamento dos leiloeiros, concluído em sessão pública na manhã desta quarta-feira, será submetido à análise da Diretoria Adjunta de Controle Interno (Diaci) e, posteriormente, à Procuradoria Geral do TJ, objetivando a adjudicação e a homologação pelo presidente Washington Luiz.

     O juiz Ivan Brito, diretor presidente do Fundo de Modernização do Poder Judiciário (Funjuris), o diretor geral Tiago Malta e o secretário especial da Presidência, Nilo Meireles também acompanharam a sessão pública conduzida ainda pelas servidoras Kátia Diniz Cassiano e Dilair Lamenha Sarmento.

Por: TJ AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *