‘Caso Subvenções’ é um assunto pouco debatido pela população

O assunto ‘desvio de verbas de subvenção da Assembleia Legislativa de Sergipe’ ainda é desconhecido pela maioria da população. Muitos sabem que algum tipo de investigação está ocorrendo, mas não entendem o assunto de uma forma mais ampla. As respostas em torno do tema são: “não sei”, “o que é isso?”, “ é aqui em Sergipe?”. Os entrevistados acham que o caso do desvio das verbas de subvenção faz parte da Operação Lava Jato, investigação realizada pela Polícia Federal.

O repasse e uso das verbas de subvenções são investigados em várias esferas. Na eleitoral, pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) do Ministério Público Federal (MPF) porque a destinação do dinheiro aconteceu em 2014 (ano eleitoral); na criminal, pela Polícia Civil que instaurou inquéritos para apurar a aplicação do dinheiro e na administrativa, pelo Ministério Público Estadual (MPE) que ajuizou Ação Civil Pública (ACP) contra alguns suspeitos pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Segundo o MPF, alguns deputados estaduais desviaram verbas de subvenções que deveriam ser destinadas a instituições filantrópicas para benefícios em campanhas políticas. Com isso, o órgão abriu procedimentos para investigar os casos. Em dezembro de 2014 a PRE ajuizou 25 ações contra 23 deputados da legislatura vigente à época e uma ex-deputada. O levantamento inicial identificou, segundo a Procuradoria, um desvio de cerca de R$ 12 milhões.

As poucas pessoas que souberam opinar sobre o assunto, criticaram a atuação dos 23 deputados citados nas investigações. A funcionária pública Roseane Costa disse que está acompanhado o processo. De acordo com ela, a população precisa se informar sobre o tema. Roseane revela que o momento é constrangedor para toda sociedade.

Roseane Costa é funcionária pública  (Foto: Tássio Andrade/G1)Roseane Costa é funcionária pública
(Foto: Tássio Andrade/G1)

“Me sinto impotente e traída diante dessa situação, você deposita confiança através do voto, elege aquele representante, e ele desvia uma verba destinada a pessoas carentes para proveito próprio. Um dos investigados é um colega de escola meu, e isso é muito triste. Se a verba que foi desviada tivesse tomado o rumo correto, pessoas carentes estariam em uma condição melhor. A população fica refém dessa corrupção, vamos esperar que ao decorrer do processo essa verba, pelo menos, seja restituída. Com relação à condenação dos deputados, eu duvido muito”, desabafa Roseane Costa, servidora pública.

Por: G1 SE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *