Biu e Arthur Lira são indiciados pela PF por corrupção passiva

aW1hZ2Vucy8xNDQxMTMyMjA1YXJ0aHVybGl0YWViZW5lZGl0b2RlbGlyYS5qcGcA Polícia Federal indiciou o deputado Arthur Lira (PP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara – um dos mais importantes colegiados da Casa – e o pai dele, senador Benedito de Lira (PP), por suspeita de prática do crime de corrupção passiva em um dos inquéritos da Operação Lava Jato.

No relatório, a PF apontou ao STF (Supremo Tribunal Federal) a responsabilidade criminal dos dois pela prática de corrupção passiva – o que, na prática, corresponde a um indiciamento nos processos de primeira instância.

O grupo de trabalho de delegados federais em atuação na Lava Jato, que investiga o esquema de corrupção na Petrobras, entregou o relatório final da investigação sobre os dois congressistas ao Supremo na tarde de segunda-feira (31).

O relatório da PF aponta que os dois acusados tiveram dívidas de campanhas eleitorais pagas pelo doleiro Alberto Youssef e receberam propinas por meio de doações eleitorais oficiais resultantes do esquema de corrupção da estatal

Em delação premiada, Youssef apontou os congressistas como beneficiários do suborno pago por empresas fornecedoras da Petrobras. A PF diz no relatório que a colaboração premiada foi confirmada por outras provas testemunhais e documentais, algumas delas obtidas por meio de rastreamento de contas bancárias.

Uma das principais provas obtidas pelos delegados é a transferência de valores de uma das empresas de fachada de Youssef para a conta de um dos credores de dívidas de campanha de Arthur Lira.

Agora o STF deverá encaminhar as conclusões da PF ao Ministério Público Federal (MPF), que decidirá pelo oferecimento de denúncia criminal contra os acusados ou pelo arquivamento do caso.

Outro Lado

A defesa de Arthur Lira e Benedito de Lira informou que o relatório ainda não é público e que vai se manifestar assim que tiver acesso ao conteúdo do documento.

Por: Folha/7 segundos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *