Audiência pública discute criações de porcos em Traipu

c702144d8fc96be021c9265c68ad502eNa manhã desta Quinta-feira (15) aconteceu no prédio da câmara de vereadores de Traipu, uma audiência pública tratando de assuntos acerca do meio ambiente e  funcionamento de pocilga irregular, tratada em reportagens anteriores como cidade dos porcos em Traipu.  A audiência pública foi realizada pelo Ministério Público do Estado de Alagoas (MP/AL), com a participação da Prefeitura de Traipu.

Entre os presentes estavam o grupo de Escoteiros Florestais de Traipu e o ambientalista e defensor do rio São Francisco, Jackson Borges.

O funcionamento da pocilga foi considerado ilegal no ano passado, durante Fiscalização Preventiva Integrada da Bacia Hidrográfica no Rio São Francisco, a FPI do São Francisco. Na ocasião, o MP/AL decidiu não aplicar multa, porque a maioria dos criadores é de baixa renda. Mas agora o órgão determinou que a pocilga seja fechada.

“A gente não pode aceitar o argumento de que as pessoas tem necessidade financeira para justificar a prática de crimes. Da forma que está acontecendo, é crime ambiental. Como Promotor de Justiça, eu preciso agir em relação a isso”, afirmou o promotor Givaldo de Barros Lessa, da Comarca de Traipu.

Os criadores tentaram contra-argumentar, pedindo mais prazo para o fechamento da pocilga. “Nós sabemos que não é certo, mas é a nossa única fonte de renda. A gente precisa de uma alternativa para isso”, comentou o criador Jânio dos Santos. “Precisamos de quatro ou cinco meses para abater os porcos que estão lá. Tem filhotes, que se vendermos vamos ter prejuízos”, pontua Anastácio Jerônimo, outro suinocultor.

b8d76e486c7d73fd14955bbf57aeab0eMas, para o promotor, não é mais possível manter a pocilga aberta. “Os grandes criadores são pessoas que já têm uma renda estabelecida. A maioria lá é empregado, gente que cuida dos porcos dos outros. Não vamos discutir se vai acabar, porque vai acabar e pronto. Só vamos definir como e quando”, declarou o promotor.

O vereador Gilson dos Santos se mostrou preocupado com a situação. “O comércio de porcos é muito alto e isso vai afetar a economia de Traipu. Se parar de vender porcos aqui, vai ser comprado de outro local, que a gente também não sabe se está cumprindo os preceitos ambientais”, comentou.

Para o promotor Alberto Fonseca, um dos coordenadores da FPI do São Francisco, lembrou que as pocilgas irregulares são bastante poluentes. “A criação de porcos possui uma carga de poluentes muito alta. De nada adianta ter posto de saúde tendo um foco de doenças próximo, seja um lixão ou uma pocilga. Por isso é preciso fechar essa pocilga”, ressaltou.

2bf0e9c54371320e5d4fea47eb1635e5Após o debate, o MP/AL determinou que as pocilgas deverão ser demolidas no primeiro dia útil de 2016. “Todos terão até o dia 31 de dezembro para vender seus animais, abater ou transferir. Em janeiro, quem tiver porco lá, será multado e terá os animais apreendidos”, finalizou. Até o fim do prazo, a Prefeitura de Traipu vai cadastrar as famílias que tem a criação de porcos como única fonte de renda. Todos serão atendidos pela Secretaria Municipal de Assistência Social para buscar alternativas para obtenção de renda.

Por: Redação com Ascom P.M Traipu

Imagens: Cortesia do Internalta

One thought on “Audiência pública discute criações de porcos em Traipu

  • Avatar
    17 de outubro de 2015 at 07:23
    Permalink

    Já que vai acabar com as pocilgas vamos também acabar com o lixo que fica próximo n é ?j á era pra ter tirado esse lixo de dentro da cidade .

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *