“Arte não tem preço e deve chegar a todos”, diz Lenine

1103 Lenine 1000Recife, capital de Pernambuco, completa hoje 478 anos. E os cerca de 1,6 milhão de recifenses terão dia de festa. Entre os destaques da festa na Praça do Arsenal, no Bairro do Recife, a partir das 17h, estão o frevo, apresentações de maracatus e show gratuito do cantor recifense Lenine.
Em entrevista exclusiva ao MinC, ele conta o que mais gosta em sua cidade. Confira!
MinC- Como foi crescer em Recife? A cidade influenciou suas músicas?
Lenine- Tive uma infância e adolescência muito especial. Minha cidade me deu diversos prazeres, dentro d’água pescando, nadando e pegando onda, no mangue catando caranguejo e guaiamum, com os amigos muita música, teatro e grandes festas. Sim, minha musica está impregnada de Recife!
MinC- Como se sente ao fazer show gratuito no aniversário da cidade?
Lenine- Show gratuito já é tudo que um artista pode querer. Arte não tem preço e deve chegar a todos. Comemorar o aniversário de Recife com meus conterrâneos, dessa maneira, é perfeito!
MinC- O que mais gosta de Recife, por quê? Quais são seus lugares preferidos na cidade?
Lenine- A casa de minha mãe. Não tem como ser diferente, pois moro no Rio e quando chego ao Recife é pra lá que eu quero ir. Depois, é claro, vou salgar o corpo.
MinC- Em 30 anos de carreira, qual foi o momento mais marcante?
Lenine- Quando toquei em Paris no teatro Zenith, com a Orchestre l’Ille de France e um coro de 1300 jovens franceses cantando minhas canções. Inesquecível!
MinC- Qual o prato típico da região que todos os brasileiros merecem provar?
Lenine- Vou de sobremesa: Cartola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *