AL mira em cooperação científica internacional para atrair investidores coreanos

dc51c42718bbe9e032d817525e51abf5_lPara discutir o desenvolvimento na área de pesquisa biomédica, assim como o investimento em um centro integrado de pesquisa, representantes da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e da diretoria da Associação Hemerson Casado tiveram um encontro na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas (Sedetur). Empresas já prometem investir pesado para fazer progressões no segmento.

O diálogo ocorreu no sentido de se criar uma cooperação científica internacional entre o Brasil e a Coréia.

“Do ponto de vista do Estado, nós temos um interesse muito grande nessa área. A medicina tem avançado em passos largos, Alagoas precisa acompanhar essa tendência para dar um salto em competitividade. Vamos trabalhar para atrair investidores em biotecnologia. Já temos resultados concretos da relação entre o Governo de Alagoas e a Câmara de Comércio Brasil Coreia (CCBC). A Nutrivita anunciou R$ 1 milhão de investimentos em Alagoas no próximo ano”, informou o secretário Helder Lima. O anúncio foi feito após uma reunião para prospecção entre a Sedetur e a CCBC.

Cardiologista por mais de 25 anos e portador de ELA [Esclerose Lateral Amiotrófica], o presidente da Associação que leva seu nome, Hemerson Casado, destacou a importância desse tipo de investimento para as próximas gerações.

“Vamos deixar um legado para nascer o parque tecnológico que beneficiará as próximas gerações”, pontuou o especialista.

O médico representante da Korean Brazillian Medical Association (Kobrama), Hyong Chun Kim, por sua vez, ressaltou os benefícios da pesquisa na área para o país.

“A Biotecnologia faria muita diferença. Um exemplo muito comum é o do câncer de mama, que não possui muitos recursos para ser descoberto, mas que hoje em dia já é possível ser detectado através de um kit de câncer que está em desenvolvimento”, disse Hyong Chun Kim.

De acordo com ele, a proposta inicial seria aplicar esse kit no Brasil para um estudo que poderia proporcionar uma solução para as longas filas em unidades de saúde, além da questão do custo-benefício, em comparação com mamografias e ultrassonografias.

O secretário Helder Lima terá uma nova reunião em janeiro com investidores coreanos para avançar na questão.

Por: Agência AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *