Agentes do Grupo de Escolta e Remoção participam de curso de tiro

large (1)Para capacitar as agentes penitenciárias que passam a integrar o Grupo de Escolta e Remoção (GER), da Superintendência de Administração Penitenciária (SAP), a Diretoria da Escola Penitenciária realizou, nesta quinta-feira (23), um curso de tiro com as servidoras. A capacitação ocorreu no estande de tiro do Regimento de Polícia Montada (RPMon), concluindo o treinamento em escolta e remoção.

O curso foi ministrado pelo agente penitenciário e instrutor de tiros credenciado pela Polícia Federal e Exército, Carlos Voss. Na capacitação, as servidoras manusearam e realizaram disparos com revólver calibre 38, pistola pt100, 24/7 e calibre ponto 40, carabina  40 e espingarda calibre 12.

Cada servidora pôde efetuar entre 50 e 60 disparos.

Além dos testes de tiro, as servidoras receberam instruções referentes à cada arma. “Esse conhecimento é importante para quem trabalha na área de segurança pública e, como as agentes vão integrar o GER, precisam de conhecimentos mais específicos para saber como atuar em situações adversas”, disse o instrutor.

Segundo Carlos Voss, a Escola Penitenciária tem se empenhado no processo de capacitação dos servidores e agentes penitenciários em  diversas áreas, como tiro, defesa pessoal e parte tática. “O treinamento permite que os agentes desenvolvam suas habilidades para cumprir com a sua missão ”, acrescentou.

Fernanda Calado é uma das agentes que passam a integrar o GER e destacou a importância da capacitação para quem vai atuar no serviço de escolta e remoção.

“É importante tanto no aspecto no profissional, quanto no pessoal. No meu caso, por exemplo, que estava lotada em outro setor, é imprescindível me atualizar nas técnicas e táticas utilizadas pelo grupamento para trabalhar de forma correta e segura”, afirmou.

Segundo o gerente do Grupo de Escolta e Remoção, Marcos André, que acompanhou o treinamento das servidoras,  além das aulas de manuseio de armas e tiros, as agentes receberam instruções sobre embarque e desembarque, algemagem e defesa pessoal.

“O objetivo é que as novas integrantes do GER se adequem aos padrões de atividades do grupo”, disse, informando que atualmente cinco mulheres integram a equipe. “A proposta é aumentar esse número gradativamente”, afirmou.

Marcos André  afirmou, ainda, que já existe contato com a Diretoria da Escola Penitenciária, para que haja um curso de escolta e remoção direcionado para as agentes do sistema prisional.

Por: Agência Alagoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *