ACIDENTE DEIXA 51 MORTOS EM SANTA CATARINA

O ônibus que caiu de uma ribanceira na Serra Dona Francisca, em Joinville, no Norte de Santa Catarina teria ficado sem freio pouco antes do acidente, segundo um dos sobreviventes. Em depoimento ao Fantástico, ele afirmou que passageiros gritaram que o veículo estaria sem freio.

O acidente aconteceu no km 89 da SC-418 no fim da tarde de sábado (14). Até a tarde deste domingo (15), 51 mortes foram confirmadas pelo governo do estado, que considera o acidente a maior tragédia rodoviária de Santa Catarina. O motorista do ônibus, com placas de União da Vitória (PR), teria perdido o controle do veículo em uma curva na região turística conhecida como Serra Dona Francisca.

Em depoimento à RBS TV, o jovem ainda contou que, antes de descer a ribanceira, o ônibus já teria desviado de uma carreta: “Foi assim: a gente estava descendo a serra, aí eu vi que o motorista ultrapassou uma carreta na serra. Só que já estava sem freio o nosso ônibus. Aí vi que o ônibus começou a embalar mais e a minha mãe falou assim: segura no banco filho, que vai faltar freio, que não tem freio no ônibus. Faltou freio antes de chegar na carreta, porque ele teve que desviar da carreta para não dar o impacto na carreta”, contou o sobrevivente Lucas Vieira.

A SC-418, onde ocorreu o acidente, foi bloqueada entre 16h10 e 22h10 deste domingo para a retirada do veículo. O ônibus foi levado para o posto da polícia rodoviária de Campo Alegre, onde deve passar por novas perícias.
A empresa responsável pelo ônibus e os policiais acionaram guinchos e guindastes para a remoção do veículo. O ônibus estava a cerca de 100 metros da altura da rodovia, conforme a PMRv.

Vítimas

O Instituto Médico Legal (IML) de Joinville conclui a identificação das vítimas fatais do acidente neste domingo (15).

Ao todo, 43 foram transportados para União da Vitória, no Paraná, de onde o grupo saiu. Eles iriam até um evento religioso em Guaratuba, também no Paraná, e o trajeto era feito por rodovias em Santa Catarina.
No Paraná, os corpos foram recebidos pelo Executivo da cidade, na sede da Companhia da Polícia Militar em União da Vitória (PR), na Praça da Ucrânia. O velório coletivo ocorre no ginásio de esportes Benedito Albino.
Das 51 vítimas identificadas pelo IML 15 eram homens, 20 mulheres, cinco adolescentes e 11 crianças.

Vítimas fatais:

1. Agata Mirella
2. Alan P. Schneider
3. Alexo de Lima Zenere
4. Anderson Celis Junior
5. Anderson Celis
6. André Luiz Carvalho
7. Assinara A de Oliveira
8. Camile Araújo Sieves
9. Carlos Alberto de Almeida
10. Cérgio Antonio da Costa (motorista)
11. Conrado Schier Filho
12. Dalton Ribeiro
13. Darci Crespo Linhares
14. Deornirce Margarete Fontana Lima
15. Eloina dos Santos de Almeida
16. Flávio Ribeiro
17. Gustavo Felipe Serafim Aquino
18. Hildo L. de Souza
19. Idelzina A. P. Aguiar
20. Janaina Darcley Ribeiro de Lima
21. João Antônio M. Soares
22. Julian Siqueira Maciel
23. Katelyn V. de Souza Ramos
24. Lariana Regina Vieira
25. Lenice Aparecida Miranda
26. Lucélia Soares
27. Luara Lorraine Siqueira Maciel
28. Luiz Cesar Araújo
29. Marcia Regiane Ramos
30. Maria Anisia Kutianski Agostini
31. Maria Delurde Schier
32. Mariza Pinto
33. Marise Antunes da Conceição Schier
34. Marli Terezinha Ribeiro
35. Mateus Costa
36. Melissa Jane Da Silva
37. Osvaldir Silves
38. Rafaeli Baumann
39. Rejane de Fátima Araújo
40. Renan R. Chrisostemo
41. Renan Araújo
42. Ricardo Araújo
43. Roseli Chrisostemo
44. Sandra Jiliane Costa
45. Selma Carolina Schneider
46. Sônia Regina Vieira
47. Tereza Fernandes de Lima
48. Terezinha D. Carvalho
49. Thiago Roberto Barbosa
50. Wesley Araujo Sieves
51. Glório Podstawka

Feridos

Sete passageiros seguem internados em hospitais do Norte catarinense, conforme a SDR. Dois estão no Hospital Dona Helena, um no Infantil, um na Unimed e três no São José.

Um ferido teve alta médica no final da manhã deste domingo (15). Brayan Lohan de Almeida, de dois anos e nove meses, foi liberado pelo Hospital Infantil após a avaliação de que seu estado é considerável estável, com escoriações pelo corpo e uma fratura.
Ainda conforme as unidades médicas, até as 19h30, o quadro clínico dos pacientes permanecia inalterado.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *