229 pessoas ficaram feridas em acidente de trem no estado do Rio

Credito Foto: Internet
Credito Foto: Internet

O choque de trens em uma estação da Baixada Fluminense, na noite desta segunda-feira (5), no Rio de Janeiro, deixou pelo menos 229 pessoas feridas, das quais 128 foram levadas para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu.

Apenas cinco pessoas –quatro homens e uma mulher– continuam hospitalizadas por conta de ferimentos provocados pela colisão. Elas estão no Hospital da Posse, em situação estável, de acordo com a assessoria da unidade.

Outras 71 vítimas foram atendidas em unidades da rede estadual, segundo a Secretaria de Estado de Saúde. Todas já receberam alta. A unidade que recebeu o maior número de pacientes foi a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Mesquita, na Baixada Fluminense. Passaram pelo local 30 pessoas –15 mulheres e 15 homens.

Pâmela de Oliveira, 24, deu entrada por volta de meia noite e só deixou o Hospital da Posse às 9h30 de hoje (6). “O trem estava lotado e estava tudo escuro. Quando houve a batida, foi uma gritaria sem fim. Bati com a cabeça e apaguei. Quando acordei, minha perna estava presa embaixo do banco e tinha uma mulher protegendo minha cabeça, porque as pessoas estavam pisando umas nas outras”, relatou.

José Francisco da Silva, 30, estava no penúltimo vagão do trem parado na estação antes da colisão. Ele machucou o peito e procurou uma unidade de pronto-atendimento.

“O trem vinha parando de cinco em cinco minutos. Quando chegou na estação de Juscelino, ficou muito tempo parado. Um rapaz então gritou: ‘está vindo outro trem’. Então, veio o impacto e todo mundo caiu um por cima do outro. O pessoal gritou que estava pegando fogo, então pulei pela janela”, contou.

O acidente

De acordo com a Supervia, um trem que seguia da Central do Brasil para Japeri bateu na traseira de outra composição, que se encontrava parada na estação. O atendimento inicial às vítimas foi feito pelo Corpo de Bombeiros e o Grupamento de Polícia Ferroviária (GPFer). O perfil do Twitter da Supervia informou que o mau tempo prejudicou o fornecimento de energia na linha do ramal e o sistema de sinalização foi afetado.

O novo secretário de Estado de Transportes do Rio de Janeiro, Carlos Roberto Osório (PMDB), afirmou não ter dúvida de que uma “falha grave” provocou o choque de trens. Em entrevista à “Globo News”, Osório ressaltou, no entanto, que a causa do acidente ainda está sendo apurada pela agência reguladora de transportes do Rio, a Agetransp.

“Não há dúvida que houve uma falha grave que ocasionou este acidente. Uma composição parada foi abalroada por outra que vinha na mesma direção em movimento. Terminado agora, neste momento, o atendimento às vítimas, a nossa prioridade passa a ser apurar rigorosamente as causas do acidente, identificar os problemas e punir aqueles responsáveis por isso”, declarou o secretário.

Osório informou que o maquinista do trem que bateu na composição parada não sofreu nenhuma lesão grave e vai auxiliar as equipes a esclarecer o acidente. “Ele será uma peça-chave no processo”, afirmou.

Segundo informações da concessionária SuperVia, que opera o sistema, equipes continuam realizando vistoria no local do acidente e realizam levantamento de dados para definir as razões e as responsabilidades pelo acidente. Os trens do ramal Japeri, sentido Central do Brasil, voltaram a funcionar às 3h57 desta terça, após a retirada dos vagões que se chocaram na estação Presidente Juscelino, em Mesquita.

Ainda de acordo com a empresa, nesta terça será formada uma Comissão de Sindicância, com a participação da Agetransp, para apurar as causas do acidente, que serão divulgadas em 30 dias.

Por: UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *