Coronel, ex-secretário de segurança de Traipu, e subtenente reformado são presos com cerca de R$ 1,5 milhão em MG

O ex-comandante geral, Marcus Aurélio Pinheiro, e o subtenente reformado, Esperon Pereira dos Santos, da Polícia Militar de Alagoas (PM) foram presos com cerca de R$ 1,5 milhão em espécie na Rodovia Fernão Dias, a BR-381, em Itatiaiuçu, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na noite desta quarta-feira (17).

Eles foram presos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Oliveira e levados para a Delegacia da Polícia Federal em Divinópolis. Um advogado de defesa dos ex-policiais esteve na delegacia, mas não quis gravar entrevista com a reportagem.

De acordo com a PRF, eles foram abordados durante uma fiscalização de rotina e demonstraram nervosismo durante a abordagem. O dinheiro foi encontrado no porta-malas do veículo, dentro de uma mala. O veículo tinha placa de Belo Horizonte e pertence a uma locadora de automóveis, segundo a PRF.

O delegado da Polícia Federal em Divinópolis, Daniel Souza, revelou à reportagem que os ex-policiais não estavam armados e afirmaram que o dinheiro seria utilizado para realizar uma transação envolvendo um imóvel no Estado de São Paulo.

O dinheiro apreendido será levado para contagem em uma instituição bancária nesta quinta-feira (18). A Polícia Federal investigará o caso e, ainda segundo o delegado, os ex-policiais poderão ser indiciados por lavagem de dinheiro, com pena prevista de três a 10 anos de reclusão.

Pinheiro e Esperon trabalharam em Traipu, sendo o Coronel Secretário de Segurança,na Gestão do ex-prefeito Eduardo Tavares, e Esperon trabalhou na mesma secretaria. No tempo, a esposa do coronel também desempenhou a função de Secretária de Saúde de Traipu.

Cel. Marcus Pinheiro – Nota de esclarecimento

A defesa do coronel PM Marcus Pinheiro esclarece à sociedade alagoana e faz este comunicado à imprensa, após reportagens jornalísticas publicadas em âmbito nacional, que este oficial não foi preso nessa quarta-feira, em uma rodovia em Minas Gerais. Pinheiro foi abordado por policiais rodoviários federais quando estava acompanhado de um comerciante que pretendia adquirir um imóvel de campo na região mineira.

O coronel esclarece, ainda, que foi contratado pelo dito comerciante para acompanhar a negociação do imóvel, que não emplacou. A contratação terceirizada de segurança é um procedimento normal e dentro dos padrões da legalidade.

Durante a abordagem, foi apresentado o contrato de compra e venda da propriedade, deixando os fatos esclarecidos para as autoridades policiais.

Pinheiro já está retornando a Maceió.

Por: G1 Alagoas com Traipu Notícia


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *