Central de Interpretação de Libras promove inclusão para deficientes auditivos em AL

Texto de Joanna de Ângelis

Inaugurada em 2015, a Central de Interpretação de Libras (CIL) foi implantada com o propósito de facilitar os atendimentos públicos a pessoas com deficiência auditiva, surdos e surdo-cegos para garantir acessibilidade e cidadania. Central foi viabilizada por uma parceria entre a Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh) e a Secretaria de Direitos Humanos do Governo Federal (SDH/PR).

O atendimento é realizado de maneira espontânea e interna, por meio de agendamentos sobre os mais diversos assuntos e necessidades. Gilmara Farias, intérprete da Central desde sua fundação, já trabalhava anteriormente como voluntária prestando o serviço de acompanhamento e diz ser grata por todo o trabalho construído até hoje no auxílio à comunidade surda em Alagoas. “A CIL chegou como a realização de um sonho. Trabalhar com o que você gosta, recebendo e ainda com o suporte do Estado e de pessoas motivadas a trabalhar com você é gratificante”, afirmou a intérprete.

A média de atendimentos mensais da Central na capital chega a 120 Surdos. Alagoas possui aproximadamente 140 mil pessoas com deficiência auditiva e/ou surdos. Segundo o superintendente de Políticas para os Direitos da Pessoa com Deficiência da Semudh, Gino Meneses, entre 2017 e 2018 a CIL alcançou a marca de dois mil atendimentos.

Aline Bastos já é conhecida entre os intérpretes da CIL pela frequente solicitação de auxílio em atendimentos (Foto: Joanna de Ângelis)

“A CIL está ligada diretamente a Superintendência de Políticas para os Direitos da Pessoa com Deficiência e tem a função de articular, executar e monitorar as políticas públicas para a pessoa com deficiência em Alagoas, além de construir uma rede de atenção que assegure a inclusão ativa e a promoção de direitos para plena participação social e igualdade de oportunidades”, ressaltou Gino.

Para a secretária da Mulher e dos Direitos Humanos, Maria Silva, os serviços ofertados pela CIL são de fundamental importância para o processo de inclusão social da comunidade de deficientes em Alagoas. “É um trabalho de utilidade pública que merece e precisa do nosso apoio para continuar atendendo às demandas e ampliar as ofertas inclusive no interior do Estado”.

Interiorização

O município de Delmiro Gouveia, Sertão alagoano, também conta com uma Central de Interpretação de Libras. Fundada em novembro de 2017, a Central possui um intérprete disponível para atendimento na região e realiza cerca de dois a quatro atendimentos diários.

Sérgio Leandro, coordenador da Central em Delmiro, relata alguns obstáculos encontrados no desenvolvimento de ações na região. “Temos uma grande dificuldade com a população surda residente no alto sertão pela falta de conhecimento e acesso ao aprendizado de libras. Nossa expectativa é que a CIL expanda suas atividades para ofertar essa capacitação, facilitando o atendimento e o auxílio à comunidade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *