Educação realiza segunda etapa da Olimpíada de História de Alagoas

Texto de Ana Carolina Lima

Escolas da rede estadual participaram, nesta segunda-feira (5), da segunda etapa da Olimpíada de História de Alagoas (OLHAL). Iniciativa da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), a OLHAL fomenta o interesse pela história de Alagoas entre alunos do ensino Fundamental e Médio, além de incentivar a leitura e interpretação de texto.

 

Nesta fase, os alunos de 65 equipes se submetem a uma avaliação subjetiva com 20 questões e elaboram uma redação. Segundo Daniel Marinho, gerente de Desenvolvimento Educacional da Seduc, a preparação para a Olimpíada acaba influenciando o desempenho dos estudantes em outras disciplinas, devido à maior atenção na interpretação textual.

 

Segundo Marinho, a iniciativa contribui para a melhora dos índices educacionais, como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), que apresentou resultado positivo, colocando Alagoas como um dos sete estados que conseguiram atingir a meta estabelecida pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

 

“A Olimpíada de História ajuda a desenvolver nos alunos uma melhor capacidade de entendimento sobre o que estão lendo, além de fixar o conhecimento que adquiriram sobre a história do nosso estado”, relata o gerente.

 

Composta por três etapas, a segunda edição da OLHAL contou com a inscrição de 596 equipes em todo o estado, abrangendo 1.788 alunos da rede estadual. A terceira e última etapa acontece nos dias 19 e 20 de novembro, durante o 3º Encontro Estudantil promovido pela Seduc.

Provas foram aplicadas em todo o estado (José Demétrio e Valdir Rocha)

Abrangência

 

Em todo o estado, 65 equipes de todas as Gerências Regionais de Educação (Gere) participaram da segunda fase da avaliação. No Cepa, equipes das escolas estaduais Alfredo Gaspar de Mendonça, Princesa Isabel, Eunice Lemos e Josefa da Conceição representaram a 13a Gere na Olimpíada.

 

A chefe de Núcleo de Rede da 13a Gere, Marijôse Albuquerque, elogia a OLHAL e confirma que iniciativas como esta geram aumento nos valores indicativos da educação básica de Alagoas. “Todo esse conhecimento auxilia no avanço dos índices, nos quais já observamos melhora”, declara.

Provas foram aplicadas em todo o estado (José Demétrio e Valdir Rocha)

Já em União dos Palmares, estiveram reunidas as equipes das escolas estaduais Benedita Rufino, de Murici, Carlos Lyra e Padre Teófanes – ambas de São José da Lage. Márcio Amorim, responsável pela aplicação da prova no Vale do Mundaú, também faz uma avaliação positiva do evento: “Desde o primeiro ano, nossas escolas tiveram uma excelente participação”.

 

Melhora no IDEB

 

Organizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a edição 2017 do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) mostrou o progresso da educação alagoana, reflexo das atividades propostas pela Seduc. A rede estadual saiu da média 4.1 para 4.9, passando da penúltima colocação do ranking nacional para a 20ª.

POr: Agência Alagoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *