4,7 mil migrantes são resgatados perto de costa líbia, diz agência

petroleiroCerca de 4,7 mil migrantes foram resgatados perto do litoral da Líbia neste sábado (19) enquanto tentavam chegar à Europa, mas uma mulher foi encontrada morta, informou a guarda-costeira da Itália segundo a agência Reuters.

A guarda-costeira disse em um comunicado que havia coordenado 20 operações de resgate envolvendo várias embarcações, resgatando pelo menos 4.343 migrantes a bordo de botes infláveis e barcaças, informou a Reuters.

Em um dos botes, com 137 pessoas a bordo, o corpo de uma mulher foi encontrado, disse a guarda-costeira, sem fornecer mais detalhes sobre a possível causa da morte.

Outras 335 pessoas foram recolhidas como parte de uma missão de resgate coordenada pela Grécia e estavam sendo encaminhadas para um porto na Itália.

Uma das operações era liderada pela organização Médicos Sem Fronteiras (MSF), segundo a AFP, e resgatou mais de 750 pessoas a bordo de três embarcações, a menos de 40 milhas náuticas (75 km) da costa da Líbia. A MSF de Beirute já havia anunciado o resgate de 776 pessoas.

“Há várias nacionalidades. Felizmente, todos estão em boas condições de saúde”, disse mais cedo à AFP o porta-voz da MSF, Sami al-Subaihi.

A Líbia, com 1.770 km de costas, se tornou uma plataforma da migração clandestina para a Europa. Os traficantes de pessoas aproveitam o caos e a violência no país, dividido entre dois governos rivais, e sem controle nas fronteiras.

Na sexta-feira (18), um petroleiro líbio resgatou um grupo de 102 migrantes que havia saído da costa do país de bote. O navio recolheu corpos de ao menos sete deles que morreram afogados. Quatro mulheres grávidas foram listadas como desaparecidas.

Também neste sábado, uma menina síria de cinco anos foi encontrada morta e outros migrantes são considerados desaparecidos após o naufrágio de uma embarcação que tentava chegar à Grécia a partir da Turquia, informou a agência oficial grega ANA de acordo com a AFP.

Mais de 430.000 migrantes e refugiados atravessaram o Mediterrâneo desde janeiro e 2.750 morreram ou são considerados desaparecidos, segundo a Organização Internacional de Migrações (OIM).

Por: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *